Moveis para Escritório

Moveis para escritorio sorocaba mesa para escritorio sorocaba



Cadeira para escritorio sorocaba movel para escritorio sorocaba



Moveis para escritorio sorocaba mesa para escritorio sorocaba



Cadeira para escritorio sorocaba movel para escritorio sorocaba



Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


22/03 - Dupla de foragidos da Justiça do AM é presa na Zona Leste de Manaus
Homem e mulher respondiam por crimes como tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Dupla foi presa em diferentes bairros da Zona Leste Divulgação Uma dupla que estava foragida da Justiça do Amazonas foi presa durante diligências realizadas em bairros distintos da Zona Leste de Manaus. Foram presos uma mulher de 29 anos suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas e um homem de 18 anos por porte ilegal de arma de fogo. A primeira prisão ocorreu nesta quarta-feira (20) na Rua Maqueré, no bairro Jorge Teixeira 4. A mulher foi presa pela equipe de investigação do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP) em cumprimento do mandado de prisão expedido no dia 1º de janeiro deste ano. De acordo com o delegado titular do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Torquato Mozer, a suspeita deixou de comparecer à Justiça e foi considerada foragida. “Ela já havia sido presa e foi solta durante audiência de custódia e respondia processo normalmente. Iniciamos as buscas por ela, e a prendemos na terceira tentativa”, contou. Após a prisão, a mulher deve ser encaminhada para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF). Já nesta quinta-feira (21), um homem de 18 anos que também estava foragido foi preso em cumprimento de mandado de prisão por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, expedido em 18 de janeiro deste ano. O suspeito foi preso após uma equipe policial realizar uma campana em frente à residência dele, no bairro Cidade de Deus. Ao sair do local, o homem foi identificado, preso e levado até o 30º DIP. Após os procedimentos cabíveis na unidade policial, o homem foi encaminhado para uma unidade prisional do estado, onde deve ficar à disposição da Justiça.
Veja Mais

22/03 - Juiz diz que investigados soltos podem ser risco à instrução criminal
Em seu despacho, juiz Marcelo Bretas explicou as bases legais para que as prisões preventivas e disse que os casos investigados não têm ligação com crimes eleitorais. Juiz Bretas diz que investigados em liberdade podem ser risco à instrução criminal No despacho, o juiz Marcelo Bretas explicou as bases legais para que determinasse as prisões preventivas do ex-presidente Michel Temer, o ex-ministro Moreira Franco, e o coronel Lima, amigo de Temer. Apresentou a decisão dele como consequência da Operação Radioatividade que, no Supremo Tribunal Federal, tem como relator o ministro Luís Edson Fachin. O juiz negou qualquer ligação dos casos analisados com crimes eleitorais. O juiz não usa meias palavras para definir o papel do ex-presidente. Marcelo Bretas concorda com os procuradores da Lava Jato e reafirma: “Michel Temer é o líder da organização criminosa e o principal responsável pelos atos de corrupção”. E uma organização bem estruturada, apontam os investigadores. “A organização que está sendo investigada hoje teria um núcleo político, o qual tornaria possível o benefício a empresários dispostos a pagar vantagens para ter benefícios. Núcleos empresariais compostos por empresários dispostos a pagar vantagens ilícitas para se beneficiar de atos políticos. Um núcleo financeiro que cuida do recebimento, distanciamento, ocultação e integração dos valores”, disse Ricardo Saadi, superintendente da Polícia Federal do Rio de Janeiro. O pedido de prisão da Lava Jato tem 383 páginas e reúne documentos e provas já apresentados em outras denúncias e inquéritos contra os investigados. Além de um esquema de corrupção na Eletronuclear, tem a investigação do chamado quadrilhão do PMDB, da concessão no porto de Santos e a cobrança de vantagens indevidas em contratos da Caixa Econômica. A suspeita é que o pagamento de propina nesses esquemas chegue a R$ 1,8 bilhão. O Ministério Público Federal diz que o grupo age há 40 anos e fez uma lista das fraudes cometidas para desviar dinheiro público: irregularidades em licitações, contratações superfaturadas, simulação de contratos de prestação de serviços, emissão de notas fiscais frias, utilização de empresas de fachada, esquema sofisticado de lavagem de dinheiro usando terceiros. Os procuradores afirmam que há provas concretas de que Michel Temer acumulou um crédito de propina por causa dos atos que beneficiaram empresários. Essa poupança de propina seria quase vitalícia, com resgates de dinheiro todos os meses por 20 anos. “Existe uma planilha que demonstra que pagamentos foram feitos, promessas de pagamentos foram feitas ao longo de 20 anos para o codinome m.t. Ou seja, Michel Temer”, afirmou a procuradora da República Fabiana Schneider. O juiz Marcelo Bretas justifica a decisão de prender o ex-presidente. Diz que “a aparente comprovação de materialidade delitiva, das provas, e de indícios suficientes, apontam para a autoria de crimes como corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa”. O juiz cita o “risco efetivo que os investigados em liberdade possam criar à garantia da ordem pública, da conveniência da instrução criminal e à aplicação da lei penal”. Destaca que “os supostos atos delituosos perpetrados pelos investigados continuam nos dias atuais” e afirma que “os investigados estão agindo para ocultar ou destruir provas de condutas ilícitas, o que reforça a contemporaneidade dos fatos, bem como a necessidade da medida mais gravosa”. Os procuradores afirmam que isso estava acontecendo em uma das empresas investigadas. “Diuturnamente tudo o que era produzido lá, até por ser uma empresa totalmente voltada para a prática de crimes, tudo que era produzido lá era destruído todos os dias. Foi descoberto que os investigadores da PF vinham sendo monitorados, inclusive, foram apreendidos papéis com dados pessoais de investigadores da PF, o que é um dado gravíssimo que fundamenta por si só uma prisão temporária”, disse o procurador da República José Augusto Vagos. O juiz Marcelo Bretas ressalta que não há nenhum indício de que os investigados estariam recolhendo valores para o financiamento de campanhas políticas. “De fato não há nenhum indício de crime eleitoral no âmbito dessa investigação. Nós temos até mesmo oitiva do senhor Michel Temer dizendo que jamais o Lima, que era seu braço direito e operador, pediu dinheiro de caixa dois para a campanha eleitoral”, completou Vagos. O advogado de Michel Temer entrou com um pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no Rio de Janeiro. A análise ficou a cargo do desembargador Ivan Athié. O TRF disse que o desembargador foi escolhido porque já é o relator de outra operação ligada à Eletronuclear, a Pripyat. Se o pedido de habeas corpus chegar ao Supremo Tribunal Federal, os procuradores entendem que o recurso deva seguir a mesma lógica. "Nas operações Radioatividade e as que se sucederam, Pripyat e Irmandade, o ministro prevento no STF é o ministro Edson Fachin. Isso já foi reconhecido em votos do próprio Supremo Tribunal, então, o MPF entende que - obviamente haverá pedidos nesse sentido - os pedidos de habeas corpus ou possíveis recursos devem ser apreciados pelo ministro Edson Fachin. Ou então, pelo ministro Luís Roberto Barroso, que foi quem homologou o acordo do representante da Engevix”, explicou o procurador da República Eduardo el Hage. Os procuradores afirmam que um dos principais operadores financeiros e amigo de Temer, o coronel Lima, atuava desde a década de 1980 por meio de uma empresa de fachada, a Argeplan. É visível um crescimento exponencial das contratações nos períodos em que Michel Temer ocupou cargos públicos. Então, é possível fazer esse paralelo e verificar a influência de Michel Temer nas contratações dessa empresa. Só queria chamar atenção para um último fato: foi identificado pelo Coaf que houve uma tentativa de depósito de R$ 20 milhões em espécie na conta da Argeplan. Esse fato precisa ser mais bem aprofundado, mas é um indicativo de que a organização criminosa continuou atuando, um depósito de R$ 20 milhões em espécie é algo bastante expressivo”, concluiu a procuradora Fabiana Schneider.
Veja Mais

22/03 - Trânsito na Avenida Constantino Nery é interditado após abertura de buraco na via, em Manaus
Segundo Seminf, equipes foram enviadas ao local para recuperar uma tubulação da rede de drenagem profunda. Buraco surgiu na noite desta quinta-feira (21) Priscila Gama/Rede Amazônica Condutores que trafegavam em direção ao Centro pela Avenida Constantino Nery na noite desta quinta-feira (21) precisaram desviar o trajeto. A mudança foi anunciada depois que um buraco surgiu em um trecho da via no bairro São Geraldo, Zona Centro-Sul de Manaus. A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que equipes foram enviadas ao local, mas não há previsão para o trabalho ser concluído. O fluxo de veículos começou a ser afetado por volta das 19h. O buraco abriu na marcação que delimita a Faixa Azul. Com isso, apenas as outras duas faixas de tráfego da avenida permaneciam liberadas. Em nota, a Seminf informou que equipes foram enviadas ao local para trabalhar na recuperação de uma tubulação da rede de drenagem profunda. Por volta das 20h, o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) confirmou a interdição da avenida, no sentido bairro-Centro, no trecho entre a Rua Pará e a Avenida Álvaro Maia. A medida vale para veículos leves e pesados, incluindo os do transporte coletivo da capital. Os veículos que seguem em direção ao Centro devem fazer seguinte desvio: Avenida Constantino Nery/ Avenida São Jorge/ Rua Arthur Bernardes/ Rua Pará/ Avenida Djalma Batista/ Avenida Álvaro Maia.
Veja Mais

22/03 - Vídeo mostra ex-secretária de Administração de Calçoene recebendo dinheiro de propina; veja
Ministério Público aponta Luciana Palmeira como intermediadora do esquema criminoso chefiado pelo prefeito Jones Cavalcante. Eles estão presos preventivamente. Ex-secretária de Administração de Calçoene aparece recebendo dinheiro de propina em vídeo Reprodução O esquema criminoso que desviou cerca de R$ 10 milhões da prefeitura de Calçoene, município ao Norte do Amapá com pouco mais de 8,9 mil habitantes, e que resultou na prisão do prefeito Jones Fábio Cavalcante (PPS) e outras quatro pessoas, entre secretários municipais e empresário, teve mais detalhes divulgados nesta quinta-feira (21). À Rede Amazônica, a defesa do prefeito disse que vai contestar as acusações no momento certo. O G1 não conseguiu contato com a defesa dos demais citados no processo. O Ministério Público Estadual (MP-AP) liberou um vídeo em que a secretária de Administração de Calçoene, Luciana Helena Batalha Palmeira, aparece recebendo R$ 5 mil em dinheiro, apontado como propina, da empresária Rosilene Valério de Souza, que prestava serviços ao município. A data da gravação é de 19 de julho de 2017. Segundo o MP, Luciana era a "intermediadora do esquema criminoso chefiado pelo prefeito Jones Cavalcante". A investigação, que teve início em 2016, é resultado da operação “Sangria”. Os gestores públicos e empresário envolvido e presos preventivamente são acusados pelos crimes de formação de quadrilha, peculato, fraude em licitação, lavagem de dinheiro e falsificação de documento público. Denúncia contra prefeitura de Calçoene aponta desvio de R$ 10 milhões; secretária é apontada como intermediadora do esquema A empresária Rosilene não foi denunciada no processo porque firmou acordo de colaboração premiada com o MP-AP. Foi ela quem entregou o vídeo ao órgão e também detalhou toda a movimentação financeira que realizou para o prefeito. Somente entre os dias 14 e 19 de julho de 2017, ela repassou mais de R$ 23 mil à secretária Luciana, dinheiro que ela confirmou ser de propina. Mas os valores vão muito além desse. O promotor de Justiça Afonso Guimarães explica como funcionava o esquema de propina. “A prefeitura realizava pagamentos em nome das empresas, e em seguida as empresas devolviam parte do dinheiro para agentes públicos, para a prefeitura. É assim que funcionava o esquema”, resumiu. Denúncia do MP-AP contra a prefeitura de Calçoene Reprodução/MP-AP A empresária tinha contratos com o município para o fornecimento de materiais de limpeza, conservação e merenda escolar. O MP também teve acesso a escutas telefônicas e a quebra do sigilo bancário de todos os envolvidos, provas fundamentais na identificação da organização criminosa. Há conversas telefônicas, em áudio, entre a Rosilene e o prefeito e também com Luciana e outros secretários municipais. Além disso, mensagens pelo telefone fundamentam as denúncias. Ao ministério, a empresária relatou que “a prática de pagamento de propina se tornou habitual e, após cada pagamento feito pela prefeitura, tinha que entregar em espécie ou transferir para contas indicadas por Luciana. A propina girava entre R$ 5 mil [mensais], tendo ocasiões em que esse valor chegou a R$ 10 mil por mês”. Investigações são resultados da operação "Sangria", cujas investigações iniciaram em 2016 Rede Amazônica/Reprodução Acusados No total, o MP aponta a participação de pelo menos 40 pessoas no esquema de desvio de recurso público. Porém, estão presos preventivamente, desde o dia 9 de março, cinco acusados de participação direta: o prefeito Jones Cavalcante; a secretária de Administração Luciana Palmeira; o assessor de gabinete do prefeito, Roberto Paulo Nunes; Augusto Ricardo Barreto de Araújo, pregoeiro da Comissão Permanente de Licitação; e o empresário Joelcy Mário Loureiro Almeida. Promotor de Justiça Afonso Guimarães Rede Amazônica/Reprodução Denúncias O Ministério Público do Amapá ofertou à Justiça três denúncias. Duas delas são referentes a manutenção de ruas de Calçoene e a revitalização de casas no complexo da praia do Goiabal. Os dois contratos chegam a mais de R$ 300 mil. As investigações apontam que somente parte dos serviços foi realizado, mas os pagamentos foram feitos integralmente. Ainda segundo as investigações, a empresa M.M. Loureiro LTDA, do empresário Joelcy Mário Loureiro Almeida, foi a contratada, através de licitação, para a realização dos dois serviços. No entanto, o processo licitatório foi fraudulento, direcionado para que a M.M. Loureiro vencesse. A fraude teve o envolvimento do pregoeiro Augusto Araújo, afirma o MP. O promotor Guimarães também explicou sobre as fraudes nos processos licitatórios. “As empresas que são escolhidas por serem amigas e fazerem parte de um esquema do prefeito, de propina. São beneficiadas com licitações dirigidas, onde elas se reúnem e uma dá cobertura para a outra, de modo que uma passe a vencer. Em seguida, numa outra licitação, aquela que venceu a licitação anterior, dá cobertura para a outra que deu a cobertura para ela anteriormente, e assim várias empresas participam da administração, se beneficiando com obras e serviços superfaturados, para em troca pagarem propina para agentes públicos”, detalhou. Denúncia contra prefeitura de Calçoene aponta desvio de R$ 10 milhões A terceira denúncia trata do pagamento de propina aos agentes públicos, cujas provas foram obtidas através da quebra de sigilo telefônico e bancário. É nessa que são detalhadas as movimentações atípicas em várias transferências bancárias para a conta da empresária Rosilene, que posteriormente repassava parte do dinheiro para os gestores do município. O esquema fraudulento envolve funcionários da prefeitura e empresas contratadas para a execução de vários serviços no município de Calçoene, como mobilidade urbana, educação, saúde, e construção e reformas de prédios públicos. Advogado do prefeito, Elias Reais, disse que provas apresentadas pelo MP serão contestadas no momento certo Rede Amazônica/Reprodução A defesa do prefeito Jones Cavalcante disse que as provas apresentadas pelo MP serão contestadas no momento certo. “O prefeito Jones e os demais réus negam qualquer possibilidade de terem cometidos esses crimes que estão sendo imputados a eles. E no decorrer da ação penal, que é o momento certo de provarmos a inocência do prefeito, iremos fazer isso de forma bem tranquila”, falou o advogado Elias Reais. Investigações apuraram conversas telefônicas entre a empresároa Rosilene e a secretária de administração Luciana Palmeira Reprodução/MP-AP Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!
Veja Mais

22/03 - Morte do adolescente Lucas Terra completa 18 anos; apenas um dos três suspeitos foi condenado
Jovem foi assassinado na capital baiana em março de 2001. Dois ex-bispos aguardam decisão da Justiça para saber se vão ou não a júri popular. Caso Lucas Terra: morte de adolescente completa 18 anos e apenas 2 pessoas foram julgadas A morte do jovem Lucas Vargas Terra, que foi assassinado na capital baiana em março de 2001, completou 18 anos nesta quinta-feira (21). Até agora, somente um dos três suspeitos de envolvimento no crime, o pastor Sílvio Galiza, foi condenado. Galiza acusado por homicídio qualificado com motivo torpe e ocultação de cadáver e, atualmente está em liberdade condicional. Já os ex-bispos Fernando Aparecido da Silva e Joel Miranda, denunciados a partir do depoimento de Galiza, em 2008, ainda aguardam julgamento. O caso segue com a 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal, que vai decidir se Silva e Miranda vão ou não a júri popular. Em fevereiro de 2019, o pai de Lucas Terra, José Carlos Terra, de 65 anos, morreu no Hospital Ernesto Simões, em Salvador. Ele teve uma parada respiratória decorrente de uma cirrose hepática, diagnosticada em 2018. José Carlos deixou uma esposa, dois filhos e quatro netos. José Carlos Terra durante protesto pela morte do filho em Salvador; homem morreu em fevereiro de 2019. Reprodução/ TVBA Crime O crime contra o adolescente Lucas Vargas Terra aconteceu em março de 2001, dentro de um templo da Igreja Universal do Reino de Deus, no bairro do Rio Vermelho, na capital baiana. Na época, a vítima tinha 14 anos e foi estuprada antes do assassinato. Lucas foi queimado vivo. Na época, o pai da vítima apontou como motivo para o crime o fato do seu filho ter flagrado os pastores Joel e Fernando fazendo sexo, com base no testemunho de Galiza, dado depois da condenação. O corpo de Lucas foi encontrado carbonizado em um terreno baldio na Avenida Vasco da Gama. Em novembro de 2013, a juíza Gelzi Almeida inocentou os religiosos. A família de Lucas recorreu e, em setembro de 2015, o recurso de apelação foi julgado pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Os desembargadores decidiram, por unanimidade, que os religiosos fossem à júri popular. Foi então a vez da defesa dos ex-bispos recorrerem. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a decisão do TJ-BA. Silvio Roberto Galiza foi condenado inicialmente a 18 anos de prisão, mas a pena depois foi reduzida para 15 anos. Fernando e Joel aguardam julgamento popular em liberdade. Em abril de 2017, o STJ negou recurso especial para os acusados, que pediram a suspensão do júri popular.
Veja Mais

22/03 - Defesa de Temer vê 'total falta de fundamento' para prisão de ex-presidente
Advogado aponta ainda 'grave atentado ao estado de Direito' na detenção do ex-presidente. Temer chega à sede da Polícia Federal no Rio REUTERS/Ricardo Moraes A prisão de Michel Temer é um "dos mais graves atentados ao Estado democrático de Direito no Brasil", disse nesta quinta-feira (21) o advogado Eduardo Pizarro Carnelós, que defende o ex-presidente. Segundo Carnelós, não há provas que apontam participação de Temer. "Resta evidente a total falta de fundamento para a prisão decretada, a qual serve apenas à exibição do ex-presidente como troféu aos que, a pretexto de combater a corrupção, escarnecem das regras básicas inscritas na Constituição da República e na legislação ordinária", disse o advogado, em nota. Temer está preso na Superintendência da Polícia Federal no Rio, onde chegou no início da noite de quinta. A defesa dele entrou com pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, também no Rio. A PF cumpriu ao longo do dia 10 mandados de prisão. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro. As prisões de Moreira e Temer são preventivas e tiveram como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3. A investigação é um desdobramento das operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade. De acordo com a investigação, que apura os crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro, pagamentos ilícitos foram feitos por determinação de José Antunes Sobrinho para o grupo criminoso liderado por Michel Temer, assim como possíveis desvios de recursos da Eletronuclear para empresas indicadas pelo grupo. Segundo a Força-Tarefa, Temer é chefe de uma organização criminosa que atua há 40 anos no Rio de Janeiro. "Michel Temer é o líder da organização criminosa a que me referi, e o principal responsável pelos atos de corrupção aqui descritos", afirmou o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, na sentença. A seguir, a íntegra da nota: "A prisão do ex-Presidente Michel Temer, que se deu hoje, constitui mais um, e dos mais graves!, atentados ao Estado Democrático e de Direito no Brasil. Os fatos objeto da investigação foram relatados por delator, e remontam ao longínquo 1° semestre de 2014. Dos termos da própria decisão que determinou a prisão, extrai-se a inexistência de nenhum elemento de prova comprobatório da palavra do delator, sendo certo que este próprio nada apresentou que pudesse autorizar a ingerência de Temer naqueles fatos. Aliás, tais fatos são também objeto de requerimento feito pela Procuradoria-Geral da República ao STF, e o deferimento dele pelo Ministro Roberto Barroso, para determinar instauração de inquérito para apurá-los, é objeto de agravo interposto pela Defesa, o qual ainda não foi julgado pelo Supremo. Resta evidente a total falta de fundamento para a prisão decretada, a qual serve apenas à exibição do ex-presidente como troféu aos que, a pretexto de combater a corrupção, escarnecem das regras básicas inscritas na Constituição da República e na legislação ordinária. O Poder Judiciário, contudo, por suas instâncias recursais, haverá de, novamente, rechaçar tamanho acinte". Initial plugin text
Veja Mais

22/03 - Paraná, quinta-feira, 21 de março de 2019
Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) negou nesta quinta-feira (21) o pedido de liberdade feito pela da defesa do ex-governador Beto Richa (PSDB). Justiça nega pedido de liberdade da defesa de Beto Richa Richa foi preso na terça-feira (19) no âmbito da Operação Quadro Negro, do Ministério Público do Paraná (MP-PR). A operação investiga desvios de mais de R$ 20 milhões de obras de construção e reformas de escolas públicas do Paraná. Depoimento de delator da Quadro Negro compara viagens de Beto Richa à 'farra dos guardanapos' de Sérgio Cabral MP acusa deputado Ricardo Barros de interferir em licitação O Ministério Público do Paraná (MP-PR) em Maringá, no norte do Paraná, ingressou com uma ação por improbidade administrativa contra o deputado federal Ricardo Barros (Progressista), e contra o ex-secretário de saneamento do município, Leopoldo Fiéviski. MP acusa Ricardo Barros de 'interferir' em licitação da prefeitura A ação foi proposta no fim de semana, quase oito anos depois do início das investigações sobre a suposta interferência de Barros em uma licitação de R$ 7,5 milhões para a contratação de uma agência de publicidade pela prefeitura. Ex-prefeito Silvio Barros é condenado por irregularidades em desapropriações de imóveis em Maringá Dia Internacional da Síndrome de Down Nesta quinta-feira (21), Dia Internacional da Síndrome de Down, o G1 traz histórias de pessoas que vivem a vida sem se preocupar com qualquer tipo de limitação ou preconceito. Pessoas que emocionam ao falar em amor e compreensão. Conheça a história de pessoas que vivem sem se preocupar com limitações ou preconceitos Porque, afinal, o verdadeiro sentido da vida, pra qualquer ser humano, não seria o mesmo sem esses valores. Assista ao vídeo acima. Carro roubado é recuperado depois de quase 20 anos Um carro roubado no Rio de Janeiro (RJ) no fim de março de 2000 foi recuperado em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, no quarta-feira (20). O suspeito disse aos policiais que não sabia que o carro era roubado e que o comprou no dia 25 de fevereiro, pagando 4,5 milhões de guaranis - o equivalente a cerca de R$ 2,8 mil - e uma moto PRF/Divulgação O veículo, com placas paraguaias, foi abordado por policiais rodoviários federais na aduana da Ponte Internacional da Amizade, na fronteira com o Paraguai. O motorista, de 29 anos, foi preso por receptação. Aos agentes ele disse que não sabia que o carro era roubado e que o comprou no dia 25 de fevereiro, pagando 4,5 milhões de guaranis - o equivalente a cerca de R$ 2,8 mil - e uma moto. Polícia investiga fraudes em pagamentos de precatórios A Polícia Civil do Paraná investiga desvios de quase R$ milhões em uma suspeita de fraudes no pagamento de precatórios - que são valores que municípios, estados ou a União pagam para pessoas ou empresas após condenação judicial. Polícia investiga golpe de quase R$ 3 milhões em pagamento de precatórios Três pessoas, entre elas um gerente do Banco do Brasil, chegaram a ser presas na semana anterior, mas uma foi solta. A Justiça determinou uma série de buscas e apreensões, bloqueio de contas e apreensão de bens dos suspeitos. Curtas e rápidas Última parcela do IPVA 2019 no Paraná começa a vencer nesta quinta-feira (21) PF cumpre mandado de busca e apreensão na casa de jovem que publicou vídeo tentando invadir sistema da delegacia no PR Filho denuncia o próprio pai ao vê-lo abusando de criança, diz polícia Acidente entre ônibus coletivo e carro deixa 11 feridos em Toledo Comissão de Ética da Câmara de Cascavel aprova cassação de vereador por desviar parte de salário de assessora Menino de 2 anos morreu vítima de meningite em Jataizinho, diz Lacen Casal acusado de desaparecimento de mulher e por ficar com a filha dela é condenado Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Veja Mais

22/03 - Dinheiro de propina pagou reforma na casa de filha de Temer, diz MPF
Argeplan, empresa do coronel Lima, fez os pagamentos. Lava Jato diz que amizade entre Temer e o coronel Lima teve papel importante em vários esquemas de corrupção. Casa da filha de Temer teria sido reformada com dinheiro de propina Os investigadores afirmam que essa reforma na casa da filha de Temer foi paga com dinheiro de propina pela Argeplan, do coronel Lima. Foi na década de 1980 que o então secretário da Segurança Pública de São Paulo, Michel Temer, conheceu o oficial da Polícia Militar João Batista Lima Filho, o coronel Lima. Não demorou para que o assessor militar se transformasse em homem de confiança. Lima participou de todas as campanhas eleitorais de Temer e, segundo a Lava Jato, já naquela época, começou a atuar informalmente na Argeplan, uma pequena empresa de engenharia e arquitetura com sede em São Paulo. O coronel Lima só passou a fazer parte da sociedade em 2011. “O que causou bastante estranheza é que é o coronel Lima já atuava há décadas e ingressou na empresa muitos anos depois. Esse é um fato que demonstra uma tendência de ocultar a atuação de alguma pessoa. É ato típico de um grupo criminoso que atua sem querer ser identificado”, explicou a procuradora da República Fabiana Schneider. No relatório final do inquérito dos portos, que o juiz Marcelo Bretas reproduziu na decisão desta quinta-feira (21), a Polícia Federal diz que “a história da empresa Argeplan é permeada por acusações de fraudes em licitações, pagamentos de propina e ligação escusa com Michel Temer, bem antes de assumir a Presidência da República, em agosto de 2016”. Os investigadores afirmam que foi dinheiro de propina que financiou a reforma da casa de Maristela Temer. “Não deixa dúvidas de como a organização atuava e de como o dinheiro entrava na Argeplan e saía em uma lavagem de dinheiro em benefício da família Temer”, afirmou a procuradora. A Lava Jato diz que foi a arquiteta Maria Rita Fratezi, mulher do coronel Lima, que comandou a reforma e que ela pagava os fornecedores em dinheiro vivo, em valores que chegaram a R$ 1,3 milhão. O empreiteiro responsável pela reforma disse em depoimento que, durante toda a obra, que durou de um ano e quatro meses, foi pessoalmente à sede da Argeplan receber os pagamentos, que aconteciam sempre em dinheiro vivo, todo mês, no caixa da empresa. Nesta quinta-feira (21), os policiais mais de oito horas na Argeplan fazendo busca e apreensão. Também fizeram buscas na casa da filha do ex-presidente. A defesa do ex-presidente Michel Temer não quis se manifestar sobre os nove inquéritos. Também não quiseram se manifestar o grupo J&F e as defesas de Joesley Batista, Ricardo Saud. A defesa de Eliseu Padilha disse que o próprio delator afirmou que jamais houve menção a vantagens ilícitas e favorecimentos à empresa Odebrecht. O MDB afirmou que apoia qualquer investigação e que as informações, que classificou como requentadas, não têm relação com a verdade. A defesa de Eduardo Cunha afirmou que o assunto é requentado e que Cunha provará a inocência. A defesa de Lúcio Funaro afirmou que ele continua colaborando com as autoridades e cumprindo o acordo de colaboração. A Argeplan negou qualquer ato ilícito e afirmou que não há provas dos supostos atos. A defesa de Moreira Franco afirmou que não há ligação entre o ex-ministro e os atos ilícitos; que a versão dos colaboradores da Odebrecht é frágil e que ficou evidente que Moreira Franco não estava no jantar. A Odebrecht afirmou que tem colaborado com as autoridades e segue comprometida com uma atuação ética, íntegra e transparente. O Jornal Nacional não conseguiu contato com as defesas de Maristela Temer e de Rocha Loures.
Veja Mais

22/03 - Bombeiros interditam escola estadual em Altamira por risco de desabamento da caixa d'água
Estudantes protestaram nesta quinta-feira, 21, contra as péssimas condições da escola Dacilla Almeida do Nascimento. Seduc disse que vai mandar um engenheiro para avaliar o caso. Estudantes protestam contra as péssimas condições de escola estadual em Altamira Estudantes da rede pública estadual de ensino protestaram nesta quinta-feira (21) contras as péssimas condições de conservação da escola estadual Ducilla Almeida do Nascimento, em Altamira, sudoeste do Pará. Eles temem que a caixa d’água de concreto desabe sobre a escola por falta de manutenção. O Corpo de Bombeiros foi ao local para analisar o estado da caixa d’água da escola e constatou que o reboco está caindo, ferros estão aparecendo e que há vazamento de água que cai para dentro do bloco das salas de aula. Com isso, a escola foi parcialmente interditada e as aulas paralisadas por tempo indeterminado. "Até para salvaguardar os alunos. Ali é uma situação atípica, porque a caixa d'água fica sobre a escada e os alunos para subir às salas vão passar pela escada. Então não tem como interditar parcialmente o local. Se interditou a escada, não tem aula no andar superior", explicou o major Celso Piquet, do 9ª Grupamento Corpo de Bombeiros. Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que tem conhecimento do estado em que se encontra a escola estadual Ducilla Almeida do Nascimento e por isso em fevereiro a secretaria adjunta de logística fez uma vistoria técnica na unidade e detectou os problemas. A Seduc disse ainda que vai enviar um engenheiro para avaliar a situação e incluir a escola nas unidades que vão receber reforma ainda neste ano.
Veja Mais

22/03 - Preso por esquartejar mulher, peruano diz que queria imitar Freddy Krueger
Wilfredo Rodríguez confessou ter matado três pessoas. Ele disse que tentou tirar pele do rosto da última vítima para fazer uma máscara que o deixasse irreconhecível e parecido com personagem da franquia 'A Hora do Pesadelo'. O peruano Wilfredo Rodríguez, assassino confesso de três pessoas, a última delas uma camponesa de 26 anos, afirmou nesta quinta-feira (21) que queria imitar Freddy Krueger, famoso personagem da franquia "A Hora do Pesadelo". Apelidado pela imprensa local de "Esquartejador de Kunurana", Rodríguez afirmou que quis esfolar o rosto de sua última vítima para fazer uma máscara que o permitisse não ser reconhecido e para ficar parecido com Freddy Krueger. Detalhes sobre o depoimento foram dados pelo promotor-adjunto José Zambrano durante uma audiência que decretou a prisão preventiva de Rodríguez por nove meses. O Ministério Público seguirá investigando o assassino confesso pelos crimes de feminicídio agravado e homicídio agravado. Antes de esfolar a mulher, identificada como Dina Quispe, mãe de dois filhos, o assassino tinha enforcado e esquartejado o corpo dela em oito partes, que foram levadas a uma cabana em Kunurana, na região de Puno, no sul do país, próxima à fronteira com a Bolívia. Assim que chegou à cabana, o assassino, de 24 anos, retirou os órgãos da mulher para cozinhá-los, mas aparentemente desistiu da ideia e acabou os dando de comida para seu cachorro. O homicídio ocorreu na noite do dia 15 de março, quando Dina tinha saído para prender seu rebanho na remota região peruana. "Não sei por que fiz isso. Só sei que minha mente ficou confusa e quis matá-la, nada mais. Fiz isso por desejo", disse Rodríguez, segundo o promotor responsável pelo caso. O assassino confesso se escondeu no mato até a vítima terminar seu trabalho e então a surpreendeu, conseguindo amarrá-la. Rodríguez foi preso dois dias depois do crime, após as autoridades terem encontrado partes do corpo da vítima espalhados por uma colina próxima à cabana. A Polícia Nacional percebeu a atitude suspeita do acusado e, depois de utilizar um reativo químico nas mãos e nas roupas de Rodríguez, identificou rastros de sangue. No primeiro depoimento aos agentes, Rodríguez confessou ter matado mais duas pessoas: uma mulher da mesma região e um homem de Sicuani, uma cidade na província de Cuzco. A primeira vítima foi identificada pela Polícia Nacional como Cirila Pacori, que morreu após levar uma pancada com uma pá na cabeça. O corpo dela foi encontrado em abril de 2014, também esquartejado, mas as autoridades não conseguiram encontrar provas contra Rodríguez, que estava entre os suspeitos do crime. Já o homem que Rodríguez diz ter matado ainda não foi localizado pela Polícia Nacional do Peru. A audiência que determinou a prisão preventiva de Rodríguez começou ontem, mas foi suspensa após a ameaça de linchamento do assassino, já que o caso causou grande comoção em Puno. O pai do assassino confesso, Martín Rodríguez, disse à imprensa local que seu filho se alistou no exército e recebeu baixa aos 20 anos. No entanto, quando voltou, já era uma pessoa diferente e virava noites vendo filmes de terror na televisão.
Veja Mais

22/03 - UE aprova extensão de prazo da separação do Reino Unido
União Europeia diz que não renegocia mais o acordo de separação e que o adiantamento será mais curto para o Reino Unido não participar das eleições para o Parlamento europeu. União Europeia aprova extensão de prazo da separação do Reino Unido Depois de uma reunião que durou mais de seis horas, todos os líderes da União Europeia concordaram em adiar a data de saída do Reino Unido do bloco, mas com algumas condições. Até agora ninguém sabe se é uma despedida ou um até logo. Seria a última reunião antes do Brexit. Mas a primeira-ministra britânica, Theresa May, pediu para esticar o prazo de saída. Por isso tratou a todos carinhosamente. No fim do dia, veio a contraproposta: o adiamento teria que ser mais curto para o Reino Unido não participar das eleições para o Parlamento europeu. E esse prolongamento está condicionado à aprovação do acordo pelo Parlamento britânico - o tempo extra seria só para facilitar a burocracia do divórcio. Agora, se o Parlamento votar contra o acordo mais uma vez, todos se prepariam para uma saída brusca no dia 12 de abril. O acordo costurado pelo governo já foi rejeitado duas vezes. A primeira-ministra teria que convencer o Parlamento britânico até a aceitar votar de novo. E a aprovação é muito difícil, sobretudo depois de quarta-feira (20), quando ela culpou os deputados pelo impasse. O presidente da Câmara disse que ninguém ali era traidor. O Parlamento também está por aqui de pedidos para cancelar o Brexit. Foram tantos que o site saiu do ar. Theresa May tem milhões de problemas na cabeça, mas nem pensa em recuar.
Veja Mais

22/03 - Homem é preso com armas em Porto Real do Colégio, AL
Suspeito foi preso em flagrante enquanto a polícia cumpria um mandado de prisão em aberto contra ele. Materiais apreendidos estavam dentro da casa do suspeito, em Porto Real do Colégio, AL Divulgação/Polícia Civil de Alagoas Um homem foi preso nesta quinta-feira (21) em flagrante por posse ilegal de arma de fogo em Porto Real do Colégio, Litoral Sul de Alagoas. Segundo a Polícia Civil de Alagoas (PC-AL), os policiais foram até a casa do suspeito, conhecido como "Zé do Cláudio", para cumprir um mandado de prisão em aberto contra ele. Durante a revista no imóvel, uma espingarda de fabricação caseira, uma carabina de pressão, pólvora, chumbo, espoletas e outros materiais foram encontrados. Por conta desses materiais, uma outra prisão foi registrada por posse ilegal de arma de fogo. De acordo com o delegado da delegacia de Porto Real do Colégio, Rômulo Andrade, o suspeito já estava sendo investigado desde novembro do ano de 2018 por conta de um crime hediondo, que não foi especificado, que aconteceu no município de São Brás, região do Agreste do estado. A investigação segue em segredo de Justiça. "Reunimos várias provas, inclusive laudos periciais e depoimentos gravados em áudio e vídeo, até chegar ao investigado, preso nesta data. Outro indivíduo também foi investigado e indicado como autor do crime, porém foi vítima de homicídio por arma de fogo, em dezembro de 2018", falou o delegado. O suspeito foi levado ao Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, onde vai aguardar a conclusão do inquérito policial. Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
Veja Mais

22/03 - Bolsonaro decide aplicar Ficha Limpa até para comissionados que entraram em governos anteriores
Governo alterou decreto publicado no início da semana após crítica de Rodrigo Maia. Chefe da Casa Civil havia informado que mudança afetaria só quem ingressou a partir de 2019. Em uma transmissão ao vivo por meio de uma rede social, Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta (21), em Santiago (Chile), que decreto agora vai atingir até quem entrou no governo no governo Lula Marcos Corrêa/PR Após ser criticado pelo presidente da Câmara, o governo Jair Bolsonaro decidiu ampliar para todos os ocupantes de cargos em comissão dos tipos Direção e Assessoramento Superior (DAS) e Funções Comissionadas do Poder Executivo (FCPE) a aplicação dos critérios da Lei da Ficha Limpa. Na quarta-feira (20), o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, havia informado que o governo estenderia a regra apenas para aqueles funcionários que ingressaram no Executivo federal a partir de 1º de janeiro. O texto também determina que, até 20 de junho, os órgãos e as entidades ligados ao governo federal terão que exonerar ou dispensar os ocupantes dos cargos e das funções que não atenderem aos critérios estabelecidos pelo decreto. A mudança, que ampliou o filtro para 22.124 funcionários comissionados, foi oficializada em um decreto publicado na quarta em edição extra do "Diário Oficial da União". Até então, as nomeações para cargos de comissão do tipo DAS eram livres e ficavam a cargo do ministro responsável pela área. Já as vagas FCPE só podem ser ocupadas por servidores concursados. Essa é a segunda alteração na regra em menos de uma semana. Na última segunda (18), o governo havia publicado no "Diário Oficial da União" um decreto que aplicava os critérios da Ficha Limpa para nomeação de cargos em comissão no Executivo Federal que viessem a entrar na administração pública a partir de 15 de maio. A decisão afetaria, principalmente, comissionados indicados por integrantes da base aliada de Bolsonaro. Nas últimas semanas, para acalmar aliados que condicionam espaço no governo para apoiar o presidente no Congresso Nacional, o Palácio do Planalto começou a articular indicações para os cargos que não exigem concurso público. Dois dias após a publicação do decreto original, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o dispositivo do governo era "muito bom" e ia "na linha correta", porém, continha o "erro" de não prever as regras desde 1º de janeiro. Rodrigo Maia criticou o fato de a primeira versão do decreto das nomeações atingir apenas quem ingressasse depois de 15 de maio Marcelo Chello/CJPress/Estadão Conteúdo Um dos principais articuladores políticos do Congresso, Maia disse, ainda, que os líderes partidários passaram a "cobrar" uma mudança na data de vigência do decreto, referindo-se ao fato de que, na linha em que havia sido publicado inicialmente, o decreto não faria o mesmo filtro em relação aos comissionados indicados, principalmente, pelo PSL, partido de Bolsonaro. "Mas valer só daqui pra frente? Parece que os de trás não precisam ter qualificação, os que foram nomeados a partir de 1º de janeiro?”, criticou Rodrigo Maia. Diante da alfinetada do presidente da Câmara – que tem o poder de controlar a pauta da Casa e vai ser peça-chave para a aprovação da reforma da Previdência –, o ministro da Casa Civil anunciou na quarta-feira que, após refletir sobre as observações de Maia, o governo havia decidido publicar um novo decreto, estendendo os efeito da medida para quem foi nomeado desde 1º de janeiro. "O governo quer que os critérios valham para todos de maneira universal, e, amanhã [quinta], o presidente assina, tá aqui o documento, já com vigência imediata, de tal forma que os critérios que foram determinados pelo decreto publicado na sexta-feira, que tratam da incorporação aos atos da administração federal dos critérios da Ficha Limpa, valerão para todos aqueles que estão nomeados designados, desde 1º de janeiro de 2019", declarou o ministro na quarta-feira. Chefe da Casa Civil havia informado que nova regra seria aplicada para nomeações no Executivo a partir de 1º de janeiro No entanto, o decreto publicado nesta quarta no "Diário Oficial da União" não prevê um recorte a partir de 2019. O texto submete as regras da Ficha Limpa a todos os comissionados em atividade no governo federal nas vagas DAS e FCPE. "Art. 1º O Decreto nº 9.727, de 15 de março de 2019, passa a vigorar com as seguintes alterações: Art. 13. O disposto neste Decreto se aplica às nomeações e às designações realizadas antes de sua entrada em vigor" Procurada pelo G1, a assessoria da Casa Civil informou que a decisão de ampliar os efeitos do decreto das nomeações para todos os comissionados foi um "opção" de Bolsonaro. Ainda de acordo com a assessoria, no momento em que Onyx havia informado que a medida valeria só para quem entrou neste ano, ele havia se baseado em uma minuta. No entanto, o presidente da República decidiu ampliar as regras para todos os ocupantes de cargos comissionados. "Tem gente que foi colocada em governos anteriores, até o Lula, lá atrás, o Lula, a Dilma e tantos outros aí", disse Bolsonaro nesta quinta em uma transmissão ao vivo por meio de uma rede social. Nº de comissionados atingidos pelo decreto
Veja Mais

22/03 - VÍDEOS: JRO 2ª edição de quinta-feira, 21 de março de 2019
Confira os principais destaques do dia com Ana Lídia Daibes. Confira os principais destaques do dia com Ana Lídia Daibes.
Veja Mais

22/03 - Força da maré volta a atingir imóveis na Barra Nova, AL
Moradores sofrem com a força da maré desde o início de 2019. No interior do estado, moradores da cidade de Piaçabuçu também ficaram preocupados com o avanço da água. Maré alta é registrada na Barra Nova Vários imóveis voltaram a ser atingidos pela força da maré na Barra Nova, no município de Marechal Deodoro, região metropolitana de Maceió. A situação foi exibida no AL2 desta quinta-feira (21). Moradores da região vêm sofrendo com a situação desde janeiro, quando um bar foi destruído e outros imóveis invadidos pela água. Na mesma semana, a Prefeitura de Marechal Deodoro decretou situação de emergência para a região. Apesar disso, os moradores dizem que não sabem como que está a situação do processo ou se terão direito a indenizações. À TV Gazeta, a Prefeitura de Marechal Deodoro disse que para o município conseguir recursos de contenção é preciso do reconhecimento Federal e que a Defesa Civil Estadual já homologou situação de emergência, mas a Defesa Civil Nacional ainda está analisando. Disse ainda que na próxima semana o prefeito deve ir à Brasília para buscar soluções. Imagens feitas com celular e enviadas à TV Gazeta mostram o dono de um restaurante tentando retirar a água no local, que já havia sido inundado. Duas residências chegaram a desabar nesta semana, e na última quarta (20) o primeiro andar de outra casa caiu (assista ao vídeo acima). A água tem passado por baixo das casas da rua da orla de Barra Nova, e tem preocupado os moradores. "Enquanto não fizer uma barreira de contenção para proteger nós moradores, vai ficar desse jeito sempre com medo da água", falou à reportagem o funcionário público, Luciano Gomes. A casa da moradora Elizabete não foi inundada, mas a água causou diversos estragos no quintal da residência e nos materiais de trabalhado do marido dela, que é pescador. "Ele não dorme direito porque bota o barco adiante e fica com medo da maré levar", contou Elizabete. Uma das alternativas dos pescadores, com a falta de peixes, é a travessia de turistas para uma ilha que tem bares, mas, quando o mar está agitado, os barcos menores não conseguem fazer o trajeto. "A maré encheu, acaba com a gente. A gente só pode trabalhar quando a maré tá seca. [O prejuízo é] total. Você quer ir para uma praia para, quando chegar lá, daqui a pouco voltar? Você ser limitado pela maré?", disse o pescador, José Borges. Casa foi atingida pela força da maré na Barra Nova, em Marechal Deodoro, AL Reprodução/TV Gazeta Interior Em Piaçabuçu, região do Baixo de São Francisco, a força da maré também preocupou moradores. As ondas chegaram até as calçadas das casas que ficam à beira mar. Força da maré em Piaçabuçu assusta moradores Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
Veja Mais

22/03 - ‘PAC em Movimento’ chega a Itacoatiara nesta sexta-feira (21)
Emissão de documentos, cadastro no Crédito Solidário, roda de conversa e cortes de cabelo serão oferecidos. Emissão de documentos será um dos serviços disponibilizados Divulgação/Sejusc O “PAC em Movimento” chega nesta sexta-feira (22) ao município de Itacoatiara, a 176 quilômetros de Manaus. Até sábado (23), serão emitidos documentos básicos, como primeira e segunda via de carteira de identidade, certidões de nascimento para crianças com necessidades especiais e seus responsáveis. A ação acontecerá na sede do Centro de Educação Tecnológica (Cetam) e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, ambos na Avenida Mário Andreazza, bairro São Francisco, das 8h às 16h. O projeto contará também com o cadastro de mulheres empreendedoras no Programa Crédito Solidário, no dia 22 de março, por meio de uma parceria entre o Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS) e Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), que oferecerá crédito de forma desburocratizada. Outro serviço disponível será a consultoria para serviços do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Roda de conversa No dia 22, o evento realizará também uma roda de conversa com o tema “Retificação de Nome e Gênero e Alteração de Registro Civil”, direcionada ao público LGBT que deseja orientação sobre o nome social. A atividade, que conta com o apoio do Movimento LGBT de Itacoatiara, acontecerá na sede do Cetam, das 19h às 21h. Outro tema a ser abordado será o combate à violência contra o público feminino, no qual serão apresentados os serviços da rede de atendimento e proteção para as mulheres, administrada pelo Governo do Amazonas. Beleza Nos dois dias de evento, das 8h às 16h, o Cetam também oferecerá serviços como cortes de cabelo, limpeza de pele e demais serviços de embelezamento para a população de Itacoatiara.
Veja Mais

22/03 - Celesc anuncia investimentos para melhoria da rede elétrica de SC
Áreas rurais receberão atenção especial. Investimento é de R$ 1 bilhão. Celesc anuncia investimento de R$ 1 bilhão para melhorias na rede de transmissão A Celesc anunciou nesta quinta-feira (21) o investimento R$ 1 bilhão para melhorar a rede elétrica em Santa Catarina. As áreas rurais receberão atenção especial. Na sede da companhia, em Florianópolis, diretores e até o governador do estado foram ouvir o anúncio. Parte desses recursos, 20%, vem do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Investimentos A ideia da Celesc é distribuir o investimento em pesquisa, sistema de alta, média e baixa tensão, e energias renováveis. Parte dos recursos também vai para a modernização da rede rural. "Esse ano nós temos R$ 20 milhões para fazer com que haja a melhoria das redes de monofásicas para trifásicas. Nós vamos disponibilizar na internet todas as cidades e as comunidades daquelas cidades que vão ser contempladas pra isso, para 2019/2020", afirmou o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. Com isso, propriedades rurais podem aumentar a capacidade de produção. A Celesc ainda pretende investir em estudos para a melhoraria de todo o sistema elétrico que, segundo o presidente da companhia, está, em parte, defasado. "O nosso objetivo, além de dar um reforço, evidentemente o reforço são novas linhas, novas subestações, mas revitalizar aquilo que já existe em alguns pontos que nós entendemos que são críticos", afirmou. O presidente também falou da série de reclamações de cobranças supostamente indevidas feitas pela Celesc no começo do ano na Grande Florianópolis. Ele disse que, a pedido do Ministério Público de Santa Catarina, a companhia está revisando contas para tentar encontrar algum erro, mas já adiantou o que, na opinião dele, ocorreu. "Quando chegou o verão, teve um verão muito intenso, naturalmente o consumo de energia elétrica aumenta, mesmo que tu não queiras ele vai aumentar", disse. Ao longo de quase duas horas de apresentação, o presidente da Celesc fez questão de repetir, diversas vezes, a intenção de manter público o controle da companhia. A Ideia foi reafirmada pelo governador do estado, Carlos Moisés (PSL): "Não pensamos na hipótese de privatização da Celesc porque nós apostamos nessa gestão que nós colocamos hoje de que a empresa vai crescer, vai arrecadar mais e vai dar retorno ". Veja mais notícias do estado no G1 SC
Veja Mais

22/03 - VÍDEOS: JRO 1ª edição de quinta-feira, 21 de março de 2019
Telejornal é apresentado por Yonara Werri. Telejornal é apresentado por Yonara Werri.
Veja Mais

22/03 - STJ mantém multa a empresa por venda antecipada de ingressos a grupo de consumidores
Empresa foi multada em mais de R$ 1 milhão por disponibilizar entradas a clientes de três cartões de crédito antes de abrir venda para público geral. A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve nesta quinta-feira (21), por unanimidade, multa aplicada a uma empresa em razão da pré-venda de ingressos, prática em que são disponibilizadas entradas a determinados clientes antes da abertura da compra para o público geral. O colegiado manteve multa de R$ 500 mil – mais de R$ 1 milhão em valores corrigidos – aplicada à Tickets For Fun em ação apresentada pelo Procon. O STJ confirmou decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que considerou que a empresa violou o Código de Defesa do Consumidor. O G1 procurou a assessoria de imprensa da Tickets For Fun, mas até a última atualização desta reportagem não havia obtido resposta. De acordo com o processo, a empresa vendeu antecipadamente ingressos para shows do cantor Zeca Pagodinho e das bandas Metallica e Coldplay a clientes de três empresas de cartões de crédito: Credicard, Citibank, Diner's. O Tribunal de Justiça de São Paulo considerou a prática uma "flagrante situação discriminatória" e assentou que a venda antecipada impede os demais consumidores de concorrer em condições de igualdade com os demais consumidores. Além da pré-venda, a multa milionária refere-se à cobrança de taxa de conveniência ao vender ingressos na internet, por telefone e nos postos de vendas adicionais. Na semana passada, a Terceira Turma da Corte já havia decidido que a cobrança da taxa é ilegal. O Tribunal de Justiça de São Paulo considerou que a pré-venda de ingressos configura "flagrante situação discriminatória" e que a cobrança da taxa de conveniência é "claramente abusiva". Os ministros da Segunda Turma negaram o recurso por unanimidade e mantiveram a multa sob o argumento de que a Corte não pode reexaminar fatos e provas. Não houve discussão sobre o caso durante a sessão desta quinta. Argumentos da empresa A empresa apresentou recurso ao STJ com o argumento de que a disponibilização antecipada de ingressos a determinadas categorias de clientes antes da abertura das vendas ao público em geral trata-se de "mera estratégia de marketing". Sobre a cobrança da conveniência, a empresa afirmou que a taxa "decorre de prestação de serviço adicional a justificar preço autônomo". A Tickets for Fun sustentou que o consumidor tinha a opção de comprar o ingresso diretamente na bilheteria, sem o desembolso de taxa adicional.
Veja Mais

22/03 - Caminhoneiro que fugiu após acidente matar estudante na TO-080 se apresenta em delegacia
O homem prestou depoimento e foi liberado. Vítima é o universitário João Felipe Araújo Silva, de 19 anos. Acidente matou estudante na TO-080 Willian Rafael de Oliveira/TV Anhanguera O motorista do caminhão envolvido no acidente que terminou com a morte do estudante de engenharia elétrica João Felipe Araújo Silva, de 19 anos, se apresentou na tarde desta quinta-feira (21). Ele foi ouvido na delegacia de Luzimangues, distrito de Porto Nacional, e liberado. O nome dele ainda não foi divulgado e o caso é investigado pela Polícia Civil. O delegado do caso, Fabrício Piassi, disse que a investigação é sigilosa e que deve terminar em três semanas. Ele informou que só poderá passar mais informações após o fim dos procedimentos. Fontes ouvidas pelo G1 informaram que o caminhoneiro alegou que fugiu porque ficou com medo de ser linchado ou morto no local. Ele teria dito também que o carro de João Felipe apareceu repentinamente na pista e que não teve tempo de parar. O homem disse ainda que avisou a Polícia Militar do acidente antes de sair do local. O caso O acidente aconteceu por volta das 19h30 desta quarta-feira (20). De acordo com a Polícia Militar, o carro que o jovem dirigia bateu de frente com um caminhão. Apenas a perícia deve confirmar as causas da colisão. João Felipe era estudante da Universidade Federal do Tocantins (UFT). Nas redes sociais, amigos e parentes deixaram mensagens lamentando a morte. Estudante morreu em acidente de trânsito na TO-080 Reprodução/Facebook Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
Veja Mais

22/03 - Coronel Lima tenta esconder celulares ao ser preso em São Paulo
Amigo de longa data de Temer, Lima é suspeito de ser operador do ex-presidente em negociações para o pagamento de propina. Coronel Lima tenta esconder celulares ao ser preso em São Paulo A Polícia Federal também prendeu, em São Paulo, João Batista Lima Filho, amigo do ex-presidente Michel Temer, e a mulher do coronel, Maria Rita Fratezi. O coronel João Batista Lima Filho estava no apartamento onde mora, num prédio na Zona Sul de São Paulo. Primeiro, chegaram os agentes do Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal. Depois, outro grupo de policiais federais. Um deles carregava uma marreta e um pé de cabra. Seguiram para a cobertura do coronel Lima e da mulher, a arquiteta Maria Rita Fratezi. Advogados do casal e o procurador do Ministério Público Federal, Tiago Lacerda Nobre, também entraram no prédio. O coronel Lima é suspeito de ser operador do ex-presidente Michel Temer em negociações para o pagamento de propinas. Em várias ocasiões, ele se negou a prestar depoimento, alegando problemas de saúde. Chegou a ser preso e liberado em seguida. Nesta quinta-feira (21), enquanto os policiais estavam no apartamento, o coronel parecia bem. A informação é que Maria Rita Fratezi passou mal. Uma ambulância foi até o prédio. No apartamento, a polícia apreendeu relógios, tablets, documentos e dois celulares, que o Coronel Lima teria escondidos embaixo da almofada do sofá e sentado em cima. As buscas no apartamento de João Batista Lima Filho duraram mais de três horas. Só depois disso é que ele e a mulher foram levados pelos policiais. Três carros descaracterizados da Polícia Federal deixaram o prédio. A ambulância foi atrás. Eles seguiram em direção ao aeroporto de Guarulhos, escoltados por outro carro da PF.
Veja Mais

22/03 - VÍDEOS: JAP2 de quinta-feira, 21 de março
Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
Veja Mais

22/03 - MP-AL recomenda que Prefeitura de Maceió suspenda autorização de derrubada de árvores para construção entre Bebedouro e Fernão Velho
Ministério Público recomendou que supressão de árvores fosse suspensa até realização de audiência na sede do órgão. Derrubada de árvores para construção de casas populares revolta moradores de Fernão Velho O Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL) informou nesta quinta-feira (21) que, diante de informações sobre a possível devastação de área verde para construção de conjunto habitacional na estrada da Goiabeira, entre os bairros de Bebedouro e Fernão Velho, em Maceió, instaurou inquérito civil e recomendou que a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial de Meio Ambiente (Sedet) suspenda imediatamente a autorização ambiental municipal de supressão nº 10/2019, concedida à empresa Engemat Engenharia de Materiais LTDA, responsável pela obra. A autorização ambiental é para derrubada de árvores para a construção de três conjuntos habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, o Brisa da Lagoa I, o II e o III. O inquérito civil foi instaurado pelas 4ª e 14ª Promotorias de Justiça da Capital. Os promotores de Justiça Alberto Fonseca e Jorge Dória notificaram a empresa e a Sedet para uma audiência, no dia 1º de abril, às 11h, no 2º andar do prédio-sede da Procuradoria-Geral de Justiça, no Poço. O coordenador geral de licenciamento da Sedet, Rodolfo Melo, falou sobre a autorização para supressão das árvores. "O processo de supressão, os estudos apresentados nele constataram que não existe vegetação nativa de Mata Atlântica no local. Todavia, por cuidado nosso, nós consideramos que sim e por isso encaminhamos ao Ibama, que por sua vez, informou que seria de competência do IMA, pelo menos dois deles [conjuntos habitacionais] e um [conjunto habitacional] por ter uma área um pouco maior, com anuência do Ibama junto com do IMA. O IMA, por sua vez, considerou que o impacto seria local e então de competência do município. Então as duas menores supressões o município fez, deferiu e a supressão maior, que está aguardando anuência do Ibama", ainda está no Ibama, disse Rodolfo Melo. Ele falou também sobre a localização de um dos empreendimentos. "A gente precisa entender que a APA do Fernão Velho-Catolé é uma área muito grande, muito extensa, inclusive, existem áreas urbanas consolidadas dentro dessa APA. Não quer dizer que é exatamente a área em que existe a captação de água. Apenas um dos três empreendimentos está com aproximadamente 30% da sua área inserida na borda da APA do Catolé. E não inserida propriamente dita na área de preservação máxima, que é a área de captação", disse o coordenador de licencimanto da Sedet. “Temos que agradecer ao povo alagoano, pois apesar das dificuldades e não ter como o Ministério Público ser onisciente e onipresente, utiliza as mídias sociais com a preocupação clara de defender esse bioma tão importante da Mata Atlântica. Recomendamos a imediata suspensão das atividades, iremos nos debruçar diante de todos os projetos, fazendo sempre prevalecer a lei de preservação do meio ambiente, e depois tomar a decisão final”, afirmou o promotor Alberto Fonseca. “Diante da gravidade e da urgência, o Ministério Público adotou as providências necessárias para impedir a devastação e apurar todos os fatos e responsabilidades. Foi instaurado um inquérito civil público e feita recomendação a Sedet para a suspensão da autorização dada a empresa. Hoje pela manhã, convocamos a secretária e toda a sua equipe para uma reunião, momento em que recebeu o documento, bem como a notificação para a audiência do dia 1º de abril”, declarou o promotor Jorge Dória. A Prefeitura de Maceió informou que atendeu a recomendação do Ministério Público de suspender a derrubada das árvores até a realização da audiência. O IMA disse que, neste caso, a própria Prefeitura de Maceió tem competência para proceder com o licenciamento ambiental. E que não cabe ao órgão estadual julgar se o procedimento está correto ou não. E disse ainda que a prefeitura chegou a encaminhar os autos do pedido de retirada de vegetação nativa sem explicação de que se tratava de uma área de conservação. Placa de conjunto habitacional que vai ser construído entre Bebedouro e Fernão Velho, em Maceió Reprodução/TV Gazeta Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
Veja Mais

22/03 - Mototaxista suspeito de estuprar adolescente a caminho de escola é preso em Manacapuru, no AM
Após cometer o crime, homem abandonou vítima em bairro da cidade. Suspeito foi preso na própria residência Divulgação/Polícia Civil Um mototaxista de 31 anos foi preso por suspeita de estuprar uma adolescente no município de Manacapuru, Região Metropolitana de Manaus. De acordo com a polícia, o abuso ocorreu quando o suspeito levava a vítima para a escola. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (21). Em nota, a Polícia Civil informou que o estupro ocorreu na manhã de quarta-feira (20) em um loteamento do município. Minutos antes, o mototaxista foi chamado pela mãe da vítima, de 15 anos, para que ele levasse a jovem até o colégio. Depois de desviar o trajeto e cometer o abuso, o suspeito deixou a adolescente em outro bairro de Manacapuru. Segundo a delegada Roberta Merly, a jovem procurou ajuda em um colégio da região. "O representante do Conselho Tutelar foi acionado e acompanhou a vítima até o hospital, onde foi submetida a exame de conjunção carnal que confirmou o estupro. Assim que fomos informados sobre a ocorrência, nos deslocamos até a unidade hospitalar. Ouvimos a adolescente e a encaminhados para o atendimento psicológico", disse a delegada, por meio de assessoria. Já na noite de quarta-feira, o mototaxista foi localizado na própria residência. Ele foi levado para a delegacia do município e, segundo a Polícia Civil, alegou que estava sob efeito de drogas no momento do estupro. O suspeito deve permanecer na unidade policial, onde ficará à disposição da Justiça.
Veja Mais

22/03 - Fechamento de resort de luxo na Ilha de Itaparica compromete cerca de 1 mil postos diretos e indiretos de trabalho
Empreendimento, que está há 40 anos na região, fechará em junho. Anúncio foi feito pelo Club Med, na quarta-feira. Club Med anuncia fechamento do resort na Ilha de Itaparica O fechamento do resort de luxo localizado na cidade Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, na Bahia, anunciado na quarta-feira (20) pelo Club Med, compromete cerca de 1 mil postos de trabalho, diretos e indiretos, na região. O empreendimento, que está instalado há 40 anos na cidade, terá o funcionamento encerrado no dia 31 de julho. A empresa não detalhou o destino do imóvel e nem se os funcionários serão realocados para outras unidades. Funcionários não escondem a preocupação. "Vai fazer muita falta, porque na Ilha não tem trabalho. Então, a gente sente muito", destaca a cozinheira Crispiniana Alves, que trabalha no resort. Ela afirma que já está perto de se aposentar, mas lamenta pelos colegas que devem ficar sem emprego. Resort Club Med Itaparica Divulgação Além dos 200 empregos diretos, parte da economia da região também depende da movimentação de funcionários e hóspedes do resort. Dilson Pereira tem um ponto de táxi em frente ao Club Med há 19 anos e diz que ainda não sabe o que vai fazer depois que o hotel fechar as portas. "Não sei o que vou fazer da vida. Vou ter que ir embora, porque não tem outro trabalho aqui", afirma. Larissa Oliveira, diretora financeira de uma empresa de transportes que atua na cidade há 23 anos e que foi criada por conta da demanda do hotel, também relata preocupação. Atualmente, quase metade da receita da empresa é resultado do traslado de hóspedes e colaboradores do empreendimento. "Fazíamos transporte de hóspedes com ônibus e depois passamos a operar com van. No caso de fechamento do clube, a gente estima que tenha que demitir, por baixo, umas 15 pessoas, 15 pais de família, dentro da situação da ilha, porque a gente não tem outra fonte de renda", afirma. Fechamento Resort Club Med Itaparica Divulgação No comunicado, o Club Med informa que o hotel não passa por dificuldades financeiras e que a decisão faz parte de uma "estratégia mundial de focar em resorts que evoluem para um posicionamento premium". Na unidade da Ilha de Itaparica, um pacote com cinco dias com alimentação e bebidas inclusos, varia de R$ 2.170 a R$ 2.983 por pessoa. Na nota, a empresa diz que continuará operando com a mesma qualidade e com os mesmos serviços durante todo o período que ainda estará em funcionamento. No perfil da prefeitura de Vera Cruz no Facebook, o prefeito Marcus Vinicius (PMDB) publicou uma carta falando sobre o fechamento do resort e lamentou a decisão. No comunicado, ele cita uma baixa no turismo na cidade nos últimos anos como um dos fatores que motivaram a saída da empresa da região e diz que a administração segue tentando manter o empreendimento ativo junto com os administradores. Resort Club Med Itaparica Divulgação Em entrevista à TV Bahia nesta quinta-feira (21), no entanto, o secretário de Turismo de Vera Cruz, Luiz Henrique Amaral, afirmou que o fechamento do hotel não está ligado ao movimento de turistas na região. Ele diz que na alta estação, a Ilha chega a receber cerca de 300 mil visitantes. "É um impacto enorme, porque estamos falando do maior empreendimento hoteleiro turístico de Vera Cruz e, sem dúvidas, um dos maiores empregadores da região. A gente entende isso como um encerramento de um ciclo empresarial. A gente está agora muito mais voltado na busca de recompor tudo isso e de criar um novo momento", afirma. Sílvio Pessoa, presidente da Associação de Bares, Restaurantes e Hotéis diz que o trade turístico recebe a notícia do fechamento do resort com surpresa. "Desde dezembro do ano passado, estamos com excelente ocupação hoteleira na cidade e no estado e essa notícia é muito ruim para o turismo. São 200 trabalhadores que perdem o emprego se isso se concretizar e 750 indiretos. Quase mil pessoas que serão prejudicadas na Ilha de Itaparica".
Veja Mais

22/03 - Em encontro no Chile, Bolsonaro vai discutir a crise da Venezuela
Na reunião com presidentes sul-americanos, o presidente também vai discutir a criação de um novo bloco de países. Bolsonaro vai discutir criação de novo bloco no lugar da Unasul Num encontro com presidentes sul-americanos no Chile, o presidente Bolsonaro vai discutir a crise da Venezuela e a criação de um novo bloco de países. O presidente desembarcou em Santiago no fim da tarde. Chegou falando do apreço pelos chilenos, pelo presidente Sebástian Piñera e da busca por uma solução diplomática para a crise na Venezuela. "Estamos fazendo gestões na área diplomática, estamos conversando com o Trump, também. E nós queremos que a Venezuela retorne à sua normalidade", disse o presidente. Quando chegou ao hotel, Bolsonaro foi saudado por algumas pessoas do outro lado da rua e voltou a falar com a imprensa. Disse que veio para o enterro da Unasul, o bloco criado em 2008 sob a batuta de Hugo Chávez, numa época em que a maioria dos países da região tinha governos de esquerda e de centro-esquerda. "Seria contraposição se continuasse existindo a Unasul. Acho que a Unasul já morreu, tá faltando enterrar. E a Prosul vai aproximar a luta pela liberdade, a democracia. Evitar que cheguemos à Venezuela. Nós temos muita preocupação." A visita de Bolsonaro tem duas vertentes: uma é participar de reuniões com presidentes dos países vizinhos para discutir um novo modelo de integração regional. A outra é tratar de negócios com o Chile. É o segundo maior parceiro do Brasil na região. Os dois estão interessados no avanço das negociações para o Corredor Bioceânico, um caminho rodoviário para ligar o Brasil até os portos chilenos, passando por Paraguai e Argentina.
Veja Mais

22/03 - Ex-ministro Moreira Franco é o quinto ex-governador do Rio a ser preso
PF esperava Moreira no desembarque de aeroporto no Rio, mas ele conseguiu sair sem ser visto. Taxista levou policiais federais até o carro onde estava o ex-ministro. Ex-ministro Moreira Franco é o quinto ex-governador do Rio a ser preso O ex-ministro Moreira Franco foi o segundo da lista de capturados desta quinta-feira (21) por determinação do juiz Bretas e o quinto ex-governador do Rio de Janeiro levado pra cadeia. No banco do passageiro, os policiais encontraram quem estavam procurando. A prisão de Wellington Moreira Franco aconteceu na avenida de acesso ao aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Moreira Franco veio de Brasília. A Polícia Federal esperava por ele no desembarque do aeroporto. Mas ele saiu mais rápido do que os policiais esperavam. “Houve a utilização de um veículo particular, que requisitado pelos policiais que estavam no local, porque o deslocamento dele na saída do aeroporto foi de forma muito rápida. E até que se buscasse a viatura que já estava vindo, optou-se por requisitar o uso de um veículo particular”, afirmou Rodrigo de Sousa Alves, delegado da PF. Foi um taxista que levou os policiais federais até o carro onde estava o ex-ministro. Só quando a prisão já tinha sido feita é que a primeira sirene policial foi ouvida e os carros chegaram bloqueando o trânsito. No apartamento de Moreira Franco, em São Conrado, na Zona Sul da cidade, os agentes fizeram buscas durante quase três horas. Moreira Franco foi governador do Rio de Janeiro entre 1987 e 1991. A partir de 2011, ocupou cinco cargos diferentes nos governos de Dilma Rousseff e Michel Temer. O último ministério foi o de Minas e Energia, em 2018. Com a prisão de Moreira Franco, chega a cinco o número de ex-governadores do Rio de Janeiro que estão ou estiveram presos recentemente. Nenhum outro estado brasileiro tem uma marca semelhante a essa. Moreira Franco chegou à Superintendência da Polícia Federal no mesmo comboio que o ex-presidente Michel Temer, pouco depois das 18h30. Mas o juiz Marcelo Bretas decidiu que ele vai ficar no batalhão especial prisional da PM, em Niterói, na região metropolitana do Rio.
Veja Mais

22/03 - Manifestantes liberam trecho da TO-010 que estava bloqueado há quatro dias
Moradores chegaram a acordo com a equipe da Ageto que foi ao local. Eles cobram melhorias em um trecho de 30 km da rodovia. TO-010 é liberada por manifestantes após quatro dias Manifestantes que bloqueavam há quatro dias o trecho da TO-010 entre Ananás e Riachinho, na região norte do estado, liberaram a pista no começo da noite desta quinta-feira (21). Eles entraram em acordo com uma equipe de técnicos da Agência Tocantinense de Obras que foi ao local. Ficou acertado que a partir desta sexta-feira (22) será realizado um serviço de tapa-buracos. Os moradores cobram melhorias num trecho de 30 km da rodovia. As péssimas condições da estrada estariam prejudicando inclusive o escoamento da safra de soja. Ficou acertado também que após o período chuvoso será realizado o recapeamento da rodovia. Desde a segunda-feira (18) a passagem de veículos era impedida, e apenas ambulâncias, viaturas da polícia e carros de emergência estavam sendo liberados. O trecho interditado na TO-010, norte do Tocantins, é uma das principais vias de acesso para os municípios da região do Bico do Papagaio, por exemplo, Babaçulândia, Wanderlândia e Ananás. TO-010 estava bloqueada por manifestantes no norte do estado Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
Veja Mais

22/03 - Ex-presidente Michel Temer responde a mais nove inquéritos
Primeira denúncia veio quando ele completava dez meses na Presidência da República; foi acusado de corrupção passiva no caso do ex-assessor Rodrigo Rocha Loures. Ex-presidente Michel Temer responde a mais nove inquéritos O ex-presidente Michel Temer responde a mais nove inquéritos. A primeira denúncia veio quando Michel Temer completava dez meses na Presidência da República. O Ministério Público o acusou de corrupção passiva no caso do ex-assessor dele Rodrigo Rocha Loures. Loures foi filmado pela polícia ao receber uma mala com R$ 500 mil do ex-executivo do grupo J&F Ricardo Saud. Segundo o Ministério Público, o dinheiro seria propina para Temer. A Câmara dos Deputados votou e decidiu suspender a análise da denúncia pelo Supremo Tribunal Federal. Temer não poderia responder enquanto fosse presidente. Em setembro de 2017, mais uma denúncia por organização criminosa e obstrução de justiça no chamado “quadrilhão do MDB”. Segundo o Ministério Público, Temer e aliados do MDB formaram um núcleo político para cometer crimes contra empresas e órgãos públicos e receberam juntos R$ 587 milhões. O então procurador Rodrigo Janot afirmou na denúncia que “diversos elementos de prova apontam que Michel Temer tinha o papel central na suposta organização criminosa”. Temer também foi acusado de ter avalizado a compra de silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, do MDB, que está preso, e do operador Lúcio Funaro. A acusação se baseou em conversa gravada entre Michel Temer e o empresário Joesley Batista no Palácio do Jaburu. A conversa foi interpretada como uma forma de pedir a manutenção de pagamentos a Cunha e Funaro. Mas, mais uma vez, a Câmara dos Deputados suspendeu a análise da denúncia pelo Supremo enquanto Temer fosse presidente. Outro inquérito apura irregularidades por parte de Temer em razão da conversa com Joesley, na qual também trataram de nomeações e temas de interesse do grupo J&F. A poucos dias do fim do governo, dia 19 de dezembro, Michel Temer foi denunciado novamente: corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Desta vez, acusado de fazer parte de um suposto esquema de favorecimento de empresas do setor portuário, o chamado “inquérito dos portos”. A denúncia aponta para uma movimentação indevida de R$ 32 milhões. Esses quatro inquéritos já estão na Justiça Federal, em Brasília. Foram enviados depois que Temer deixou a Presidência. Três já geraram denúncias do Ministério Público, mas Temer ainda não se tornou réu. Cinco inquéritos seguiram para as justiças Eleitoral e Federal em São Paulo. Um dos casos é a investigação de um contrato fictício de prestação de serviço no valor de R$ 375 mil no Porto de Santos. Outro inquérito trata da suspeita de contratação da Argeplan pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, com indícios de serviços não prestados e superfaturamento em contrato avaliado em cerca de R$ 100 milhões. Corre na Justiça a apuração sobre suspeitas de contratos irregulares da Argeplan em 58 transações entre 2010 e 2015, envolvendo mais de R4 17 milhões. Na Justiça Eleitoral de São Paulo outro inquérito apura suposto recebimento de R$ 10 milhões em vantagens indevidas da Odebrecht por Temer e pelos ex-ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha. Segundo um delator, em um jantar no Palácio do Jaburu, em 2014, foi acertado o repasse ilícito do dinheiro ao MDB com objetivo de atuação destes políticos na aprovação de medidas de interesse da Odebrecht. Também está na a Justiça Federal de São Paulo inquérito sobre suposto crime de lavagem de dinheiro cometido na reforma da casa da filha de Temer, Maristela.
Veja Mais

22/03 - Hemocentro de Guarapuava reduz horário de atendimento e tem diminuição no estoque de sangue
Doações, que eram feitas em dois períodos, passaram a ser realizadas somente a tarde, após o afastamento de um dos médicos; Hemocentro orienta doadores a chegarem cedo. Hemocentro de Guarapuava muda horário de atendimento O Hemocentro Regional de Guarapuava, na região central do Paraná, reduziu pela metade o horário de atendimento para doações e informou que houve queda no estoque de sangue. De acordo com o hemocentro, o atendimento aos doadores, que antes era feito das 8h às 11h e das 13h às 16h, passou a ocorrer apenas no período da tarde, desde o início do mês de março, por causa do afastamento de um, dos dois médicos disponíveis. Em média, conforme o Hemocentro, são necessárias 30 doações por dia para manter os estoques de sangue cheios. Com a redução do tempo de atendimento, a média tem sido de 25 doações diárias. O farmacêutico Rhony Moreira orienta os doadores a chegar mais cedo, no período da tarde. "Se os doadores chegassem bem cedo, a partir das 13h, a gente poderia atender até 42 doadores na parte da tarde, mas precisariam estar bem cedo, para dar tempo de fazer o cadastro, a triagem clínica, hematológica e a coleta", afirmou. Ainda de acordo com o farmacêutico, um doador demora, em média, de 40 a 45 minutos para passar por todo o processo de doação de sangue. Hemocentro de Guarapuava reduz horário de atendimento e tem diminuição no estoque de sangue Reprodução/RPC Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Veja Mais

22/03 - Na Venezuela, chefe de gabinete de Juan Guaidó é preso
Quem relatou a história foi Sérgio Vergara, integrante do Parlamento venezuelano, que teve a casa invadida pouco tempo antes. Na Venezuela, chefe de gabinete de Juan Guaidó é preso Agentes do serviço secreto venezuelano prenderam o chefe de gabinete do líder oposicionista Juan Guaidó. Os agentes da inteligência venezuelana entraram à força na madrugada desta quinta-feira (21) no apartamento onde morava Roberto Marrero. Ele é o homem mais próximo do líder da oposição no país, Juan Guaidó. Quem relatou a história foi Sérgio Vergara, integrante do Parlamento venezuelano, que teve a casa invadida pouco tempo antes. Ele diz que foi surpreendido às 2h por mais de 15 homens encapuzados e armados. Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino em janeiro, disse que Marrero precisa ser solto imediatamente. “Nicolás Maduro não se atreve a me prender ou então não está mais no comando”, afirmou. Segundo Guaidó, o chefe de gabinete dele foi sequestrado. Nicolás Maduro não se manifestou. Maduro governa com o apoio dos militares e acusa Guaidó de ser aliado dos americanos num golpe contra ele. Nos Estados Unidos, o secretário de Estado, Mike Pompeo, condenou a prisão e pediu a soltura imediata de Marrero e disse que os EUA vão responsabilizar os envolvidos. O Brasil e os demais países integrantes do Grupo de Lima exigiram que o regime de Nicolás Maduro liberte imediatamente o assessor de Guaidó.
Veja Mais

22/03 - Indicadores do mercado financeiro reagem à prisão do ex-presidente Temer
Ibovespa chegou a cair mais de 2,6%, recuperou ao longo do dia e fechou com queda de 1,3%. Dólar chegou a R$ 3,83 e fechou em R$ 3,80. Indicadores do mercado financeiro reagem à prisão do ex-presidente Temer Os indicadores do mercado financeiro nacional também refletiram a prisão do ex-presidente. O almoço de quem lida com milhões em investimentos foi agitado. Eles tinham que digerir uma informação que pouco depois das onze da manhã: a prisão do ex-presidente Michel Temer. E o mercado ficou assustado com o que aparecia na TV. Números e gráficos parecem difíceis de entender à primeira vista, mas eles podem contar uma história. E uma tela contava a história da bolsa de valores nesta quinta-feira (21). O Ibovespa, índice que mede o desempenho da bolsa, já começou o dia em queda. Uma bolinha marca o momento em que os investidores souberam da prisão do ex-presidente Temer. Depois, o Ibovespa foi ladeira abaixo. O Ibovespa chegou a cair mais de 2,6%. Recuperou ao longo do dia e fechou com queda de 1,34%. O dólar chegou a R$ 3,83. Fechou em R$ 3,80. Subiu 0,98%. Mas por que a prisão de um ex-presidente teve esse impacto depois que a bolsa bateu o recorde de cem mil pontos na segunda-feira (18)? “A gente vê que na abertura do mercado já existia uma percepção um pouco mais negativa. Basicamente em função da reforma dos militares que não foi tão forte assim quanto o mercado esperava, então já existia um certo pessimismo, alguma cautela no mercado, mas quando a gente viu de certa forma um ex-presidente sendo preso a acentuação da queda do mercado foi muito forte. Acho que essa é uma questão que está no curto prazo preocupando os investidores porque pode ter algum atraso em termos de reforma, que é extremamente necessária pro país”, disse o estrategista da Guide Investimentos, Luis Gustavo Pereira.
Veja Mais

22/03 - Polícia prende 13 pessoas durante operação de combate ao tráfico de drogas na Grande Belém
Foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, além de oito prisões em flagrante por tráfico de drogas e apreensão de arma, moto e dois adolescentes. Operação da Policia Civil apreendeu drogas, armas, celulares e moto em ação ao combate ao tráfico de drogas na Grande Belém Polícia Civil A Polícia Civil realizou nesta quinta-feira (21) para o cumprimento de mandados de prisão contra tráfico de drogas na região metropolitana de Belém. Ao todo foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, oito prisões em flagrante por tráfico de drogas, além da apreensão de arma, moto e dois adolescentes. As ações aconteceram nos bairros do Guamá, Marambaia, Pedreira, Marco, Cremação, Tenoné e no distrito de Mosqueiro, em Belém, e nos bairros da Guanabara, Decouville e Distrito Industrial, em Ananindeua. Além dos cumprimentos dos mandados de prisão, agentes policias também realizaram uma operação chamada "Disque Denúncia", quando apuraram as denúncias anônimas feitas ao número 181. Foram presas oito pessoas em flagrante por tráfico de drogas.
Veja Mais

22/03 - Carnaval fora de época começa em Uruguaiana com desfile de escolas de samba
Escolas desfilarão até sábado (23) na avenida Presidente Vargas. Ingressos estão quase esgotados, mas ainda restam alguns bilhetes na passarela do samba. Desfiles do Carnaval de Uruguaiana começam nesta quinta-feira (21) Uruguaiana, na Fronteira do Rio Grande do Sul, recebe a partir da noite desta quinta-feira (21) uma dos maiores carnavais do estado. Mais de 50 mil pessoas vão assistir aos três desfiles das escolas de samba da cidade, na avenida Presidente Vargas. Confira a programação: Quinta: Império Serrano Deu Chucha na Zebra Os Rouxinóis Unidos da Cova da Onça Aliança do Samba Sexta: Bloco Afro Aruanda Apoteose do Samba Imperadores do Sol Ilha do Marduque Bambas da Alegria Sábado Bloco Balada Segura Deu Chuca na Zebra Imperadores do Sol Os Rouxinóis Bambas da Alegria Unidos da Cova da Onça Ilha do Marduque Cada escola tem 75 minutos para percorrer mais de 500 metros da passarela do samba. De acordo com a organização, são esperadas cerca de 18 mil pessoas, que devem lotar as arquibancadas e camarotes, vindas de vários lugares do Brasil. Os ingressos estão praticamente esgotados, mas ainda restam alguns lugares à venda nas bilheterias da passarela.
Veja Mais

22/03 - Tramitação de propostas de combate ao crime provoca desentendimento entre Moro e Maia
Na quarta-feira (20), no lançamento da frente parlamentar de segurança, o ministro defendeu que a discussão do pacote anticrime não pare. A declaração de Moro não foi bem recebida por Rodrigo Maia. Pacote anticrime provoca atrito entre Moro e Maia A tramitação de propostas de combate ao crime provocou um desentendimento entre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Os três projetos do ministro da Justiça, Sérgio Moro, foram entregues em fevereiro à Câmara. Logo depois, o líder do PSL, deputado Delegado Waldir, pediu para juntar dois desses projetos: o da criminalização do caixa dois e o das medidas anticorrupção. O pedido foi negado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Agora, os projetos vão tramitar separadamente. Na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, criou um grupo de trabalho formado por nove deputados para analisar as propostas: a de combate à corrupção e ao crime organizado, do ministro Sérgio Moro, e os projetos de uma comissão de juristas presidida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo. Pela regra, o grupo tem até 90 dias para debater e comparar as propostas - ver se elas podem ser unificadas ou não. Só um dos projetos de Moro está na Comissão de Constituição de Justiça. Na quarta-feira (20), no lançamento da frente parlamentar de segurança, o ministro defendeu que a discussão do pacote anticrime não pare: “na minha avaliação, isso pode tramitar em conjunto. O desejo do governo é que isso fosse desde logo encaminhado às comissões para debate, mas isso vai ser conversado respeitosamente com o deputado Rodrigo Maia”. A declaração de Moro não foi bem recebida por Rodrigo Maia: “o funcionário do presidente Bolsonaro conversa com o presidente Bolsonaro, e, se o presidente Bolsonaro quiser, conversa comigo. Eu fiz aquilo que eu acho correto. O projeto é importante. Aliás ele está copiando o projeto do ministro Alexandre de Moraes. Copia e cola. Então, não tem nenhuma novidade. Poucas novidades no projeto dele. Nós vamos apensar um ao outro. O projeto prioritário é o do ministro Alexandre de Moraes e, no momento adequado, depois que a gente tiver votado a Previdência, nós vamos votar o projeto dele”. Questionado sobre as declarações de Maia, Sérgio Moro respondeu: “a única expectativa que eu tenho, atendendo aos anseios da sociedade contra o crime, é que o projeto tramite regularmente e seja debatido e aprimorado pelo Congresso com a urgência que o caso requer. Talvez alguns entendam que o combate ao crime pode ser adiado indefinidamente, mas o povo brasileiro não aguenta mais. Essas questões sempre foram tratadas com respeito e cordialidade com o senhor presidente da Câmara, e esperando eu que o mesmo possa ocorrer com o projeto e com quem o propôs”. O deputado Capitão Augusto (PR-SP), presidente da frente parlamentar de segurança pública, que reúne 304 deputados, disse que a tramitação das propostas pode ser feita junto com a reforma da Previdência: “você pode já começar a pautar esse pacote agora, a gente começa a aprovar, são várias leis, são vários projetos, vai aprovando. Na hora que estiver pronto o pacote da Previdência para entrar no plenário, pausa a questão da segurança, segura a questão da segurança e coloca a Previdência para ser aprovada”.
Veja Mais

22/03 - Lava Jato prende preventivamente ex-presidente Michel Temer, do MDB
Mandados de prisão preventiva foram assinados pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, do Rio. Lava Jato prende Michel Temer, Moreira Franco e coronel Lima Os relógios regulados pelo horário de Brasília marcavam 11h15, nesta quinta-feira (21) de manhã, quando a notícia surgiu, simultaneamente, na tela da Globo, na Globonews e no G1. "A força-tarefa da Lava Jato acaba de prender o ex-presidente da república Michel Temer. A polícia continua nas ruas porque também há um mandado de prisão contra o ex-ministro do governo Temer, Moreira Franco. Os dois são do MDB. Os mandados de prisão são assinados pelo juiz da 7ª vara federal criminal do Rio de janeiro, Marcelo Bretas", informou o repórter Paulo Renato Soares. Em minutos, a informação trazida pelos repórteres Paulo Renato Soares e Arthur Guimarães se transformava no assunto do dia do Brasil, com repercussão também da imprensa internacional. A prisão do ex-presidente foi o primeiro movimento da Polícia Federal na execução da ordem judicial. Os agentes interceptaram Temer no bairro do Alto de Pinheiros, em São Paulo. O ex-presidente Temer tinha acabado de sair de casa. A 850 metros de lá, em uma avenida movimentada perto da Marginal Pinheiros, policiais federais deram ordem para o carro parar. Dez homens, entre eles homens do Grupo de Pronta Intervenção, o grupo tático da Polícia Federal, cercaram o carro. Temer estava no banco de trás. A porta foi aberta, mas ele fechou em seguida. Um policial que fazia parte da operação assumiu a direção do carro. Os policiais tinham um mandado de prisão preventiva assinado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, do Rio. O ex-presidente só não foi preso logo cedo, como é praxe em operações da Lava Jato, porque os policiais não tinham certeza que ele estivesse em casa. Michel Temer foi preso a caminho de seu escritório particular, no Itaim Bibi, Zona Sul de São Paulo, num trajeto que fazia diariamente desde que deixou a Presidência da República, em janeiro. Da rua onde foi preso, Temer foi escoltado num comboio até o aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos, a cerca de 40 quilômetros dali. Os carros entraram por uma área restrita, usando as pistas de serviço, até chegar a uma porta que dá acesso à delegacia da Polícia Federal, no terminal três do aeroporto. Lá, o ex-presidente ficou numa sala, recebeu o advogado Eduardo Carnelós e passou por exame de corpo de delito. Às 15h43, o ex-presidente Temer saiu da delegacia e entrou no carro que o levou até a pista; 43 minutos depois, o avião decolou rumo ao Rio de Janeiro. O avião com Michel Temer pousou no Rio pouco antes das 17h, debaixo de muito chuva. O comboio levando o ex-presidente saiu do aeroporto internacional do Galeão cerca de meia hora depois. Com as sirenes ligadas, os cinco carros enfrentaram o trânsito do Rio no horário do rush. Eram quase 18h40, no início da noite, quando o comboio levando Michel Temer chegou à Superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro. Ele vai ficar no local. Temer pegou o elevador e foi conduzido para uma sala do prédio. O destino do ex-presidente foi discutido durante toda a tarde. Inicialmente, o juiz Marcelo Bretas determinou que Temer ficasse na Unidade Prisional da Polícia Militar em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, onde está preso o ex-governador Luiz Fernando Pezão. A decisão, que saiu antes das 14h, atendeu um pedido do Ministério Público Federal. Mas os advogados do ex-presidente pediram ao juiz que Temer ficasse na Superintendência da Polícia Federal no Rio, separado de outros presos. Marcelo Bretas, então, enviou um ofício perguntando se a Polícia Federal teria condições de custodiar Michel Temer. Pouco antes das 16h, o superintendente da Polícia Federal respondeu que sim, que Temer poderia ficar provisoriamente em uma sala previamente preparada, com cama, banheiro e chuveiro. O delegado Ricardo Saad também pediu orientações sobre os itens que poderiam ser colocados na sala, como frigobar e televisão. Por volta das 17h30, Marcelo Bretas determinou que Temer ficasse na Superintendência da Polícia Federal no Rio. Na decisão, o juiz afirmou que o tratamento dado aos ex-presidentes deve ser isonômico, uma vez que o ex-presidente Lula está custodiado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.
Veja Mais

22/03 - Diretora que barrou matrícula de aluno por corte de cabelo é afastada do cargo no Maranhão
Caso aconteceu em São José de Ribamar. Pais denunciaram a diretora por racismo. Diretora que barrou matrícula de aluno por corte de cabelo é afastada do cargo A Prefeitura de São José de Ribamar determinou o afastamento por 60 dias de Helena Rita Ferreira Sousa, diretora da Escola Profª Augusta Maria Costa Melo, em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís. Ela foi acusada de racismo por condicionar a matrícula de uma criança de oito anos a um corte de cabelo, que seria norma da escola. Helena Rita Ferreira Sousa, diretora da Escola Profª Augusta Maria Costa Melo Reprodução/TV Difusora A família da criança registrou um boletim de ocorrência e entrou com um processo na Justiça contra a diretora. Um processo administrativo também apura a denúncia de racismo. A Secretaria de Educação de São José de Ribamar negou que haja qualquer orientação de não matricular crianças por corte de cabelo. “Isso não é tolerado, não é uma recomendação. Infelizmente, se deu isso, mas não é uma regra da educação. Me surpreendeu bastante e isso não é um fato impeditivo, de forma alguma, para a matrícula da criança”, declarou a secretária de educação de São José de Ribamar, Joana Marques. Prefeitura de São José de Ribamar afastou a diretora Helena da escola por 60 dias Reprodução/TV Mirante Por causa do constrangimento, os pais da criança estavam com dificuldade para encontrar uma escola inclusiva, já que o menino de cabelos cacheados e pele negra é autista. Mas o município providenciou soluções. “A vaga da criança está garantida na escola municipal Nice Lobão, a Prefeitura também disponibilizou serviços especializados na escola Dra Maria Amélia Bastos, que é uma escola para atendimento de pessoas com deficiência”, disse a secretária Joana. Felipe é negro e tem cabelos crespos. Pais dizem que a diretora da Escola Profª Augusta Maria Costa Melo impediu a matrícula por ele ser afrodescendente. Reprodução/TV Mirante A diretora Helena Sousa acusa os pais do menino de calúnia e difamação. O advogado dela afirmou que, em momento algum, ela agiu com discriminação ou preconceito racial. “Não houve em momento algum qualquer citação acerca de corte de cabelo, que não haveria a matrícula por conta do cabelo da criança. Ela [Helena] é casada com um negro, tem nove filhos negros. Então essa afirmação de discriminação e preconceito racial não merece prosperar porque, se ela assim o fizesse, estaria atacando a própria família dela”, contou o advogado Cristian Cavalcante. No entanto, na última semana , em entrevista à TV Difusora, a diretora admitiu que disse para o pais cortarem o cabelo dele. “Eu perguntei para ela [mãe] no caso do cabelo, se tinha como ele cortar o cabelo social. Ela disse que não, que ia pensar. Eu disse que tudo bem, então a senhora pensa porque a escola tem um padrão porque a gente sempre chama os militares, os bombeiros para fazerem palestras. Então estão todos bonitinhos, normal, tudo social”, disse a diretora na entrevista. Diretora reclama de cabelo e impede matrícula de criança em escola no MA
Veja Mais

22/03 - Suspeitos de ataques a ministros do Supremo em redes sociais são identificados
Alvos foram um advogado de Maceió e um funcionário da Guarda Civil em São Paulo. Operação mira suspeitos de postar mensagens criminosas e até ameaças de morte contra ministros. Investigações sobre ataques contra ministros do STF identificaram 2 suspeitos As investigações sobre ataques nas redes sociais aos ministros do Supremo Tribunal Federal identificaram, até agora, dois suspeitos. Policiais Federais foram à casa do advogado Adriano Laurentino de Argolo, em Maceió. O mandado, autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, determina busca e apreensão de “computadores, tablets, celulares e quaisquer outros materiais relacionados à disseminação de mensagens ofensivas e ameaçadoras em apuração nos autos”. Adriano de Argolo reconheceu ter feito críticas a ministros do Supremo na internet, mas disse que nunca escreveu nada ameaçando nenhum ministro. “Eu faço críticas pontuais, políticas, a posicionamentos de alguns ministros, mas nunca ameacei fisicamente ao STF, como eles me mostraram algumas postagens. Essas postagens que eles me mostraram não foram eu, não foram a minha pessoa que escreveu. Foram contas clonadas”, disse Argolo. A PF também fez buscas em São Paulo. O alvo era José Aparecido dos Santos, um funcionário da Guarda Civil ligado à Secretaria de Segurança de Indaiatuba. A operação mira suspeitos de postar mensagens criminosas e até ameaças de morte contra ministros do Supremo. Foi a primeira medida nessa investigação aberta de ofício, sem pedido de órgãos de investigação, como é a regra em inquéritos. A equipe do Jornal Nacional não conseguiu contato com José Aparecido dos Santos.
Veja Mais

22/03 - Aluno esfaqueado em portão de escola é transferido para hospital em Rio Branco
Estudante ferido pelos colegas na Escola Dom Júlio Mattioli, em Sena Madureira, estava com suspeita de hemorragia interna. Menores apreendidos ficaram calados durante depoimento. Aluno foi esfaqueado no portão de escola de Sena Madureira, interior do Acre Reprodução O aluno de 16 anos esfaqueado por colegas no portão da Escola Dom Júlio Mattioli, em Sena Madureira, interior do Acre, foi transferido para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). A transferência foi feita nesta quinta-feira (21) porque o aluno estava com suspeita de hemorragia interna. O estudante foi ferido quando saía do colégio, na tarde desta quarta (20), após o recreio. Três alunos da instituição foram apreendidos pela Polícia Militar do Acre (PM-AC) minutos após o crime. A vítima cumpre medida socioeducativa e estava no primeiro dia de aula. Aluno sofreu cinco perfurações Ao G1, o clínico-geral Silvio Roberto Fontes, que atendeu o aluno no Hospital João Câncio, explicou que ele sofreu cinco perfurações, sendo duas no lado direito do tórax, uma na região lombar esquerda e outras duas na perna. “Situação dele era estável, mas teve um pico de febre e dores abdominais. Precisava ser avaliado por um cirurgião por causa de uma suspeita de hemorragia interna no abdômen”, complementou. Ainda segundo o médico, o aluno chegou ao hospital consciente, fez um exame de raio X para saber se estava com algum órgão perfurado e recebeu todo atendimento disponível. “Estava bem, lúcido, a pressão estava normal, porém, como apresentou esses sinais e foram cinco perfurações e uma delas foi profunda, precisou ser encaminhado para Rio Branco”, confirmou. Investigações O delegado responsável pelo caso Marcos Frank revelou que ouviu algumas pessoas sobre o episódio nesta quinta-feira (21). Porém, não disse a quantidade e nem quem são as pessoas ouvidas. Frank falou também que os menores apreendidos pelo crime ficaram calados durante o depoimento. A Polícia Civil ainda não sabe a motivação do crime. A polícia também não revelou por qual crime o menor ferido cumpria medida socioeducativa.
Veja Mais

22/03 - Instituto Innovare lança a 16ª edição do prêmio
Prêmio reconhece contribuições para modernizar a Justiça. A premiação tem o apoio do Grupo Globo. Anunciada mais uma edição do prêmio Innovare O Instituto Innovare lançou nesta quinta-feira (21) em Brasília a 16ª edição do prêmio que reconhece contribuições pra modernizar a justiça. A premiação tem o apoio do Grupo Globo. O prêmio é considerado o mais importante na área jurídica no Brasil, porque tem como foco o cidadão. “O Innovare tem captado durante os seus 15 anos de existência iniciativas que tragam melhorias para o nosso sistema de Justiça. Traz melhorias para o nosso sistema de Justiça. São iniciativas que fazem com que a Justiça funcione melhor em benefício do cidadão brasileiro”, afirmou Sergio Renault, diretor-presidente do Instituto Innovare. Presidentes de Tribunais Superiores, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, representantes da magistratura prestigiaram o lançamento do prêmio Innovare que está sempre atento a assuntos de repercussão na sociedade, como destacou o presidente do Supremo Tribunal Federal: “Se desde a Constituição de 1988 nosso país evoluiu muito no fortalecimento das instituições do sistema de Justiça, e na afirmação dos direitos do cidadão, esse progresso se deve a iniciativas também, como as premiações feitas pelo Instituto Innovare nos últimos 15 anos”, disse Dias Toffoli. O tema do prêmio Destaque de 2019 é a promoção e defesa dos direitos humanos, um assunto que foi aprovado por unanimidade. E alguns problemas brasileiros foram citados como, por exemplo, o grande número de feminicídios. Esse tipo de crime, lembrou o presidente do Conselho Superior Innovare, Ayres Britto, é consequência do preconceito. “Nós estamos colocando ênfase nesse tema da dignidade da pessoa humana, que é princípio fundamental da República Federativa do Brasil, para selecionar no Brasil todo práticas, no sistema de Justiça, favorecedoras da concretização desse princípio; e divulgar para o Brasil inteiro replicando essas práticas favorecedoras da dignidade da pessoa humana, replicando em todo país”, disse. São cinco categorias para profissionais ligados à área jurídica e mais uma para profissionais de todas as áreas com trabalhos com resultados positivos para a melhoria do sistema de Justiça. As inscrições são feitas pelo site do Instituto Innovare até as 18h do dia 25 de abril. O prêmio Innovare é uma realização do Instituto Innovare, da Secretaria Nacional de Justiça, de associações jurídicas, de associações jurídicas e tem o apoio do Grupo Globo. As práticas vencedoras de 2019 vão ser divulgadas em dezembro.
Veja Mais